<$BlogRSDURL$>

quinta-feira, abril 27, 2006

Narradores 

por Anselmo Trompete

Aposto que todos aqui já se perguntaram, ao menos uma vez na vida, se os narradores esportivos torcem para algum time. Tá, a pergunta foi meio idiota e a reposta é óbvia: é claro que eles torcem!

Na verdade, eu queria saber se os leitores do Corneta Esportiva acham que os narradores narram os jogos torcendo.

Nosso amigo Marcos Oboé, por exemplo: ele jura de pé junto que o Cléber Machado é corintiano. Mas será que isso não tem a ver com o fato do nosso amigo de cornetadas ser um palestrino fervoroso? Afinal, sempre achamos que o narrador berra muito mais no gol do adversário.

Pra mim, por exemplo, o Cléber Machado é palmeirense!
Brincadeira. Nunca achei isso.

Já meu amigo Diego Corneta desconfia que o Galvão Bueno é flamenguista. Será?

Se o Galvão Bueno é, eu não tenho certeza. Mas o narrador da Tupi AM eu tenho certeza que é!

Clique aqui. Precisa de áudio.

10 Cornetadas

Rápidas & Rasteiras 

Diego Corneta

Salvos pelo gongo
Dá-lhe chavão: "no apagar das luzes", "no cair das cortinas", "no crepúsculo" o Corinthians conseguiu evitar o que seria um fiasco total. Um revés de 3X1 praticamente eliminaria o Timão. O River não um bom time, mas é copeiro e saberia administrar a situação favorável. Xavier, aos 46 do segundo tempo, fez de cabeça e salvou a pele dos seus companheiros, do técnico Casseta, e da imensa torcida.

Ele. De novo
O gol do Carlitos foi um típico gol de Tevez. Recebeu a bola, encarou a marcação, abriu espaço e bateu forte. Ver ele fazendo isso, até parece fácil. Golaço.

Filho da puta
Carlos Amarilla. Esse é o nome do juiz paraguaio que apitou o jogo e prejudicou o Corinthians em momentos cruciais. Anulou um gol legítimo do Tevez, expulsou Mascherano injustamente e deixou de marcar faltas escandalosas. Apito muy amigo.

Cadê o meio?
Ricardinho e Carlos Alberto não jogaram nada! Impressionante, parece até que os caras saem do campo por alguns momentos. Não vai ter jeito, Roger está próximo a voltar ser titular. Com esses dois mortos em campo, estou até com saudade do Rosinei.

Cadê os laterais?
Coelho errou todos os lances em que se arriscou. Ele é incapaz de acertar um cruzamento, e também não acerta mais cobranças de falta, seu antigo ponto forte. Foi péssimo, um dos piores em campo. Rubens Jr. é uma farsa. Também, com um nome desses não dava para esperar muita coisa. Jogou bem dois joguinhos no Pacaembu e ontem, lá na Argentina, sentiu o peso da responsabilidade e foi horrível.

Choque-rei
Palmeiras X São Paulo ontem fizeram um clássico mais para "choque" do que para "rei". O jogo foi violento dentro e fora do estádio. O São Paulo foi melhor e o Sérgio salvou pelo menos uns bons três gols. Eu acho o São Paulo favorito, tem um melhor time, mais organizado e com melhores jogadores. Mas, como diria Jardel: "Clássico é clássico e vice-versa".

Deu Barça
Com um 0X0 em casa o Barcelona alcança a final da Liga dos Campeões. Dida fez ótimas defesas e evitou a derrota milanesa. Shevchenko marcou de cabeça, porém o juiz inventou uma falta e invalidou o gol. Não vi o jogo, mas disseram que foi meio chato. 0X0 é sempre meio chato mesmo. A final contra o Arsenal vai ser em Paris e Ronaldinho terá uma ótima chance de se consagrar definitivamente na história do Barcelona. Ronaldo, Romário, Rivaldo e outros grandes jogadores nunca sequer disputaram uma final da Champions League. Por outro lado, Carlos Alberto foi campeão pelo Porto, marcou inclusive o gol do título.

Irmãos Coragem
Dona Santinha está eufórica. Não consegue conter sua alegria. Também, convenhamos, sua alegria tem razão de ser. Os dois maiores e mais tradicionais clubes cariocas estão sendo comandados pelos filhos de Dona Santinha. O Flamengo ataca de Waldemar Lemos de Oliveira e o Fluminense ousa com Oswaldo de Oliveira. Parece piada, mas não é. Eles são até muito parecidos fisicamente e na maneira que falam; há até quem diga que se trata da mesma pessoa. Desse modo, Oswaldo estaria treinando as duas equipes e recebendo dois salários. Recebendo é modo de dizer, todos nós sabemos que o Flamengo não paga e o Fluminense também adia seus compromissos financeiros. Mas o fato é que ambos se deram bem em cima dos grandes mineiros. O Flamengo sapecou um 4X1 no fraquíssimo Atlético-MG e o Fluminense fez 3X2 sobre o Cruzeiro, em pleno Mineirão.


Oswaldo (na época que treinou o Flamengo) ou Waldemar?


Waldermar (como auxiliar técnico do Santos) ou Oswaldo?

2 Cornetadas

terça-feira, abril 25, 2006

Telê 

Diego Corneta

Barcelona, 05 de julho de 1982, Copa do Mundo, Itália 3X2 Brasil. Todo mundo que conhece e gosta de futebol já ouviu falar nesse jogo, naquela seleção, em Telê Santana, e no futebol-arte. Porém, o que poucos sabem é que o técnico Telê, mesmo perdendo o jogo, foi aplaudido de pé pelos jornalistas do mundo inteiro. Os longos minutos que duraram os aplausos foram o reconhecimento ao homem que ousou montar uma equipe que jogasse um futebol muito ofensivo e extremamente criativo.

Melhor do que falar de Telê, é deixar que suas próprias palavras falem por ele. Com algumas pérolas de sabedoria, dá para ter uma vaga idéia da grandeza do homem:

“Futebol é arte, é diversão, sem chutão pra frente.”

“Se for para mandar meu time matar a jogada, dar pontapé no adversário ou ganhar com gol roubado, prefiro perder o jogo.”

“Se jogador do meu time faz falta por trás, ou entra para quebrar o adversário,
o juiz nem precisa expulsar. Eu mesmo tiro de campo.”

“Se for para apelar para a força, ponho estivadores em campo.”

“Competir, competir. Os meninos das escolinhas têm de ganhar a qualquer
custo e já começam a dar pancada. Não desenvolvem o lado criativo.”

“Não escalo alguém porque gosto mais deste ou daquele. Se fosse assim,
escalaria meu filho, que é de quem eu mais gosto.”

“Gosto de treinar à antiga, com muita bola e coletivo, que é o que o jogador gosta.”

“Há quem me chame de romântico, mas sei que estou colaborando com o futebol. E isso me dá satisfação.”

“É uma grande felicidade ver um jogador evoluindo, perceber que alguém melhorou depois de suas orientações.”

“Sou contra o mau-caráter, craque ou não.”

“Dirigentes me irritam, porque são atrasados. Na maioria, querem tirar proveito
próprio ou então são incompetentes mesmo.”

“Eu gosto de futebol. Se tiver uma pelada na rua, eu paro para ver.”

Telê Santana pensava e representava tudo o que eu prezo no futebol. Criatividade, liberdade e honestidade. O São Paulo de 1992/93 era um time de encher os olhos, agradava qualquer um, independente de ser torcedor de outro time. Lembro-me duas passagens.

Uma, pouco antes de disputar a final do mundial contra o Barcelona, em 1992, as duas equipes se encontraram em uma final de um torneio internacional (não me recordo se foi Ramón de Carranza, Teresa Herrera, ou outro). O técnico Johan Cruyff falou muito, disse que o Barcelona iria detonar o São Paulo, coisa e tal. Telê, como sempre, falou pouco. Mineiro, matreiro, falava apenas o necessário. O São Paulo fez 4X0 e humilhou o Barcelona em seu próprio país. Jogou muito mesmo. Lembro-me de ter assistido esse jogo em casa, num dia de semana à tarde. Confesso que vibrei com a atuação do São Paulo. Foi um massacre imposto pelos comandados de Telê Santana.

Outra passagem foi nas quartas-de-final do Brasileiro de 1994. O São Paulo foi eliminado pelo Guarani. O ótimo time bugrino era comandado por Carlos Alberto Silva e contava com Luizão, Amoroso, Sandoval e outros bons jogadores. No primeiro jogo, o São Paulo ganhou por 1X0. Na volta, o Guarani jogou muito e fez 4X2. Lembro-me que Telê Santana disse que não se importava em perder daquela maneira, pois o Guarani tinha sido tudo o que ele queria que o São Paulo fosse.

Um mestre e um cavalheiro. Nas vitórias e, sobretudo, nas derrotas.


Carreira e títulos. Clique na imagem para ampliá-la.

2 Cornetadas

segunda-feira, abril 24, 2006

Rápidas & Rasteiras 

Diego Corneta

Blefe
Com Enílton, Márcio Careca, Douglas, Amaral e mais alguns jogadores "bons e baratos", o Palmeiras achou que estava montando um elenco forte. Truco. Figueirense, que não tinha nada a ver com isso, pediu seis e levou. Isso mesmo: um, dois, três, quatro, cinco, seis! 6X1 foi o placar do jogo. Andam falando que há um grupo de jogadores boicotando o Leão. Andam dizendo que o Leão já está demitido. Na real, andam falando muito e fazendo pouco. Tanto os jogadores, como os diretores.

Até ele!
Fininho, gente! Até o Fininho marcou contra o Palmeiras! Vejam bem, eu disse (escrevi) FININHO! Até ele fez gol. Fininho não dá. O Palmeiras realmente está no fundo do poço.

Líder mandrake
O Fluminense foi o único que venceu as duas partidas. E isso não significa absolutamente nada. O time tem Petkovic, um bom volante (Arouca) e uma dupla de ataque (Lenny e Tuta) interessante, digamos assim. Eles têm também um cara sentado no banco, o nome dele é Oswaldo de Oliveira. Duvido que o tricolor carioca terá bala na agulha até o final das 38 rodadas.

Ritmo de treino
Fui ao Pacaembu ver Corinthians X São Caetano. Foi fácil. Nunca tinha visto um Corinthians X São Caetano tão fácil assim. Foi 3X0, mas poderia ter sido quatro ou cinco. Um cabeção do Azulão fez um pênalti idiota em Tevez e foi expulso. Com 1x0 no placar, um jogador a mais e um time bem superior; o Timão tirou o pé do acelerador e mesmo assim criou outras chances de gol. Um dos melhores em campo foi Rubens Jr., jogou muito. Um dos piores foi Carlos Alberto, não jogou nada.

Estréia do mão-de-pau
Por ironia do destino (aliás, a expressão é consagrada, mas o destino é bem irônico mesmo), Silvio Luiz estreou justamente contra o seu ex-clube. Numa das poucas vezes que a bola chegou no gol, ele espalmou-a mas recuperou-se a tempo. Segue justificando sua alcunha.

Notícia da Rússia
Os torcedores do CSKA têm um novo ídolo, Jô. Lembram-se dele? É aquele atacante alto que não sabe cabecear. Lento. Tem um traque na perna boa (esquerda) e a perna "cega" não serve nem para pegar um ônibus. É desengonçado para driblar, passa mal, e apesar do seu porte físico, não sabe fazer o pivô. No Timão, ele era horrível, mas lá na Rússia, deu certo. Já fez 8 gols em 7 jogos, botou o Vágner Love no banco. Na difícil partida contra o Shinnik Yaroslavl, Jô fez nada menos que quatro gols e o CSKA venceu por 5X1.

Dupla mortal
Parece nome de filme B, mas trata-se da dupla Ronaldinho / Eto'o. Pelo campeonato espanhol, ambos já marcaram 38 gols em 32 jogos. E pela Liga dos Campeões, foram 12 gols em 10 jogos. Com os dois em campo, o Barça ainda não perdeu esse ano. Nas poucas derrotas, faltava um, ou outro. Números impressionantes.

Não tem preço
Lá na Argentina está rolando uma propaganda bem legal de um cartão de crédito. O protagonista é Carlitos Tevez. Vejam aqui .

Incrível!
Rubens Barrichelo largou em terceiro e chegou em décimo! Como será que ele consegue? Não entendo bulhufas de Fórmula 1, mas me parece óbvio que foi uma péssima corrida do Rubinho. Ele anda dizendo que "ainda não se adaptou ao carro da Honda". Na verdade, acho que ele não se adaptou a Formula 1.

Independente dos resultados, Flávio Briatore está sempre feliz. Por que será?
Pedra no sapato
Na verdade, o título certo seria areia no tênis. Jogando no piso que é seu ponto fraco, o saibro, Roger Federer perdeu para Rafael Nadal na final do torneio de Montecarlo. Nadal era o único que já tinha vencido Federer nesse ano, e também é o único no mundo com mais vitórias contra o suíço, quase todas no saibro. É curioso pois outro super tenista recente, Pete Sampras, também ganhava tudo, mas não se dava bem na areia. Sampras e Federer nunca venceram Roland Garros, o único Grand Slam disputado no saibro.

Mestre
Telê morreu. Cumpriu seu papel na história do futebol com maestria. Mais tarde eu mando um texto sobre isso.

2 Cornetadas

quinta-feira, abril 20, 2006

Curtas & Grossas 

por Anselmo Trompete

Corinthians avança.
Jogando com força máxima nos primeiros minutos de jogo, o Timão venceu o fraco Deportivo Cali por 3x0 e passou para as oitavas-de-final. Tudo bem que no segundo tempo Tevez e Cia. "tiraram o pé do acelerador", mas o importante é que mais 3 pontos foram somados e o Corinthians terminou em primeiro do seu grupo.

Os gols.
O Corinthians começou com tudo e logo aos 6 minutos , após um ótimo cruzamento de Rubens Júnior, Marcos Vinícius , de cabeça, abriu o placar.
O terceiro gol foi de Nilmar e novamente de cabeça. O artilheiro do Corinthians testou forte após o cruzamento de Coelho.

Calma. Não pulei o segundo gol, do Tevez. Deixei por último, afinal foi o mais bonito de todos.

Rubens Júnior (ele de novo! Gustavo Nery que se cuide!) recebeu uma bola alta e muito rápida na ponta esquerda. Com uma categoria irreconhecível, matou a pelota no peito adiantando-a ainda na corrida. Cruzou forte e parecia que o ataque se perderia alí.
É amigo... mas o Corinthians tem um tal de Carlitos Tevez. Rápido como uma flecha, o argentino passou correndo pela zaga colombiana e saltou. Numa espécie de "voadora" interceptou a bola que cruzava toda a área, rápida como um míssil. O bico de sua chuteira colocou a bola gentilmente no fundo do gol de Gonzalez. Golaço!

Ah, se fosse o tal do Ronaldinho Gaúcho... Textos e mais textos surgiriam nesse modesto blog. Alguns ousariam a dizer que foi o gol mais lindo da história do futebol, só porque foi marcado pelo melhor jogador do mundo. Mas não foi. Foi o Tevez que marcou. Paciência.

Vamos aderir!
Cassius Medauar é meu companheiro de jogos de futsal na Cásper. Além de jogar muito bem no gol, esse jornalista mostrou que também tem muito bom gosto. Veja o que ele escreveu em seu blog:

Campanha pra substituir o Milton Neves...
...o Avalone, Galvão Bueno e outros apresentadores chatos dos programas esportivos brasileiros! Eles são malas sem alça, só querem criar polêmica e se acham os donos da verdade!

Temos que seguir o exemplo de outros países, que têm apresentadores profissionais, que dá até gosto de assistir os programas. Vejam abaixo um exemplo de uma TV espanhola. Mande e-mails pra suas emissoras e exijam a substituição!


Essa é a apresentadora. Eu aprovei.

3 Cornetadas

quarta-feira, abril 19, 2006

Milan X Barcelona 

Diego Corneta

Dessa vez eu não resisti e acompanhei a partida no hiper-super-mega-emocionante placar UOL. "Ronaldinho recebe falta, bate perto da trave", "Schevchenko arranca e é desarmado". Acompanhar um jogo assim é uma das experiências esportivas mais frígidas que existem. É mais ou menos por aí. De noite, quando eu fui assistir o VT na ESPN, já sabia que o Barça tinha ganhado por 1X0. Sim, um jogão desses eu assisto até VT.

E, de fato, foi um jogaço. Duas grandes equipes que mesmo marcando muito, não deixavam de buscar o gol. Kaká e Schevchenko são ótimos, mas o Seadorf destoa naquele time do Milan. Eto'o, Giuly e Rafa Márquez também foram muito bem. Foi uma partida de xadrez, um menor espaço, uma mínima falha, poderia definir o jogo. E definiu. Ele de novo. Ronaldinho estava muito marcado, mas movimentou-se muito e participou de quase todas as jogadas de ataque do Barcelona.

É impressionante, quase todas (eu ia dizer TODAS, mas posso errar) as bolas de ataque passam pelos pés do Ronaldinho. Não foge de suas responsabilidades e seus companheiros sabem que ele pode decidir a partida em um lance, confiam muito nele. Ronaldinho voltava para fugir da marcação, organizava as jogadas e distribuía bons passes no meio de campo. Deu ótimos dribles em espaços curtos, com direito a dois chapéus sensacionais. Um em Gattuso, outro, de forma humilhante, em Pirlo. Nas poucas chances em que Ronaldinho realmente teve espaço, mandou uma na trave, e colocou Giuly na cara do gol. O francês não hesitou e fuzilou Dida, uma porrada de canhota, sem chance de defesa.

Esquadrão. Mesmo com um uniforme horoso, o Barça bateu o Milan

Hoje os jornalões (Folha e Estado) enaltecem a atuação do craque, ontem o Parreira já havia pagado um pau. Apesar do amigo Anselmo Trompete achar que ainda é cedo para alçá-lo ao mesmo patamar celestial de Maradona e Pelé, Ronaldinho já conquistou seu posto entre os grandes, entre os maiores, precisamente.

Frank Rijkaard, responsável por montar e azeitar a equipe mais ofensiva do mundo (sim, o Barca tem a melhor média de gols do mundo), ontem foi muito bem e mostrou que aprendeu a lição do ano passado, quando não abriu mão do seu esquema super ofensivo e viu o Chelsea abrir 3X0 no placar, num jogo em que o Barça só precisava empatar para ficar com a vaga. Ronaldinho ainda tentou salvar a pele do treinador e fez dois gols, um deles antológico (aquele da sambadinha em frente à área, com uma conclusão improvável, num espaço mínimo, com a bola descrevendo uma trajetória mais improvável ainda), difícil de esquecer. Mas o placar final ficou 4X2 pro Chelsea.

Enfim, ontem o técnico holandês fechou o time e garantiu o ótimo 1X0 na casa do adversário. Sacou o atacante Giuly e colocou o Belleti. Tudo bem, o Belleti não é nenhum craque, mas marca muito melhor que o Giuly. No jogo de volta o Barcelona é o favorito para conquistar a vaga. Jogando em casa, o time catalão é sempre favorito, com a vitória no primeiro confronto, a vaga está muito próxima.

Números
A partida de ontem estava sendo aguardada há muito tempo, na Europa estavam dizendo que era a final antecipada. O jogo causou frisson no Velho Continente. Os números, dignos de uma final de Copa do Mundo, confirmam isso: 220 jornalistas, 78 fotógrafos, 75 locutores e comentaristas de rádio e televisão, mais 448 auxiliares. Além disso, o Milan vendeu todos os 80 mil ingressos para a partida, arrecadando cerca de 3 milhões de euros. O jogo foi visto ao vivo em mais de 70 países, nos cinco continentes. Tudo isso por apenas por 90 minutos de disputa.

Veneração exagerada ou a constatação do óbvio ululante?
"Ronaldinho é o melhor do mundo, sem discussão.Ele faz coisas muito diferentes e já é uma lenda, está à altura de Pelé, Maradona, Di Stéfano e os maiores", frase dita por Cafu, dias antes do jogo de ontem. Para a matéria completa, clique aqui .

Numa entrevista recente na SporTV, Tostão (na minha modesta opinião, o cara que mais entende de futebol no Brasil) afirmou que raramente acontecem casos de um jogador se distanciar muito dos demais. Na história, só aconteceu três vezes: com Pelé, com Maradona e agora, com Ronaldinho.

4 Cornetadas

segunda-feira, abril 17, 2006

O jogo da Páscoa 

Diego Corneta

Nem Real Madrid X Getafe, nem Grêmio X Corinthians e muito menos São Paulo X Flamengo. O MEU jogo do MEU final de semana foi um da série B. Sim, da segunda divisão. Esse ano a segundona vai pegar fogo. Será no sistema de pontos corridos, com turno e returno. Pode não ser a fórmula mais emocionante, mas para um campeonato longo, é a mais justa. São 20 times, sobem quatro e caem quatro, simples assim.

Algumas equipes tradicionais estão lá, como: Atlético-MG, Sport, Náutico, Guarani, Coritiba e Portuguesa. Isso sem falar naquelas que estão (ou estiveram) em evidência nos últimos anos, como: Paulista, Santo André, Paysandu, e Brasiliense. Os dois primeiros acabaram de ganhar a Copa do Brasil, e os dois últimos acabaram de disputar a forte série A.

Para prestigiar tão digno e importante campeonato, eu estava lá, presente na abertura da série B. Sim, testemunha ocular. Tarde de sol na região conhecida por Alta Paulista. O acanhado, porém confortável, estádio Bento de Abreu (o Abreuzão!) recebeu mais de 5 mil torcedores; visualmente isso me pareceu uns 70% do estádio. Não sei qual é sua capacidade e essa porcentagem é um chute tão confiável quanto uma finalização do Bobô.

Marília X Atlético-MG, eis o jogo da Páscoa! E foi simplesmente horrível. Péssimo. O time do Marília corre muito e pensa pouco. Suas "jogadas" de ataque se resumem a chutões e disparadas individuais, bem ao melhor estilo "vaca louca". Mesmo assim, o Tigrão (sim, esse é o apelido do Marília) pressionou mais e teve um pênalti claro não anotado.

O time do Atlético-MG me pareceu muito fraco para quem quer sair da segundona. Não reconheci nenhum jogador, são todos novos e desconhecidos. O goleiro me pareceu bom, mas o camisa 10 (um loirinho cabeludinho que parecia um dos Hanson) foi péssimo. O camisa 11 também foi bem, é um canhoto baixinho, rápido e driblador, típico camisa 11 mesmo. O tal revelação Ramón estava contundido e entrou apenas nos 20 minutos finais. Mas ele foi muito bem, dá para perceber que ele tenta fugir da mesmice e procura criar jogadas diferentes, talvez ele possa realmente ser bom.

O placar foi um empate,1X1, e não poderia ter sido outro. Os dois times não fizeram por merecer a vitória. O gol do Marília foi fruto de uma jogada de correria (também não poderia ter sido diferente) do camisa 10, Alisson. Ele correu e conseguiu cruzar para o 11, Wellington Amorim. O gol de empate do Atlético foi fruto de uma jogada do ligeirinho camisa 11. Ele passou por dois marcadores, foi até a linha de fundo e cruzou rasteiro para trás. Alguém chutou, a bola desviou, bateu na trave e, no rebote, empurraram para dentro. Não sei quem fez o gol do Galo, na verdade, não sei o nome de ninguém do time mineiro, só do tal revelação, Ramón.

Fazia muito tempo que eu não ia ao estádio em jogos, digamos, menores. Foi ótimo. Não o jogo, mas o ambiente. É muito mais leve e descontraído que o Pacaembu, por exemplo. A relação da torcida com o time é completamente diferente. A torcida é completamente diferente, a faixa etária é maior, há mais famílias e mulheres. Por conseqüência, há mais respeito entre os torcedores. Eles não se manifestam e nem torcem muito. Parecem não se envolverem com o jogo, apenas assistem e curtem. Talvez eles estejam certos, afinal o futebol não passa de um esporte, um entretenimento. É um esporte belo, imprevisível (até certo ponto) e muito gostoso de se ver, mas ainda assim é um esporte. Há paixões, história e emoções envolvidas, mas no fundo, é apenas um jogo.

1 Cornetadas

terça-feira, abril 11, 2006

Curtas & Grossas 

por Anselmo Trompete

Parabéns, Peixe!
Entre os grandes, o Santos é o que tem o elenco mais limitado. Porém fez a diferença com seu treinador. Sua disciplina tática e o esforço do elenco foram decisivos pra o bom desempenho da equipe.
Agora Luxemburgo é o terceiro técnico com mais títulos paulistas, 6 no total.

“Em Português eu fui bem, mas em Matemática me si fudi...”
Até parece piada, mas é verdade. Não quero generalizar, mas jornalista não contar!!! A maioria dos jornais (on-lines e impressos) que eu li diziam que o Santos saíra de uma fila de 21 anos sem vencer um campeonato paulista. Só que o período sem esse título foi de 1984 a 2006, ou seja, 22 (VINTE E DOIS ) anos.

Aí vem o Zé Ruela e fala que o título de 84 foi vencido em Dezembro, portanto é QUASE 85. Mas é QUASE. O campeão de 85 foi o São Paulo, batendo a Portuguesa na final.

Na verdade, o jejum santista durou 21 anos e 4 meses. Só que o engraçado é que quando falamos no famoso jejum de títulos do Corinthians, todos, sem exceção, tem na ponta da língua os anos: 23 ! Sendo que, na verdade, o período foi de 22 anos e 9 meses. Vai entender...

Graaaande, Tigrão!
Parecia impossível, mas o Marília conseguiu permanecer na primeira divisão do campeonato paulista. O Tigrão da Alta Paulista precisava vencer o S. Bento e torcer por tropeços do Guarani e Portuguesa. E não é que deu certo?

Não é possível!
O Guarani só precisava vencer o já rebaixado Mogi Mirim para escapar do rebaixamento. Jogando em casa, o Bugre não teve a competência de marcar UM GOLZINHO sequer. O empate sem gols condenou o time de Campinas à amargar a próxima temporada na segunda divisão.

Pobre Lusa.
Já não bastasse o Brasileirão, a Portuguesa agora também vai disputar a segundona do Paulista. Também, pudera! O time é HORROROSO. Péssimo! Muito ruim!
Enquanto assistia ao jogo, escutei algum comentarista falando que o centroavante angolano Jonhson (que tem mais pinta de corredor da S. Silvestre do que jogador de futebol), vai disputar a Copa do Mundo pela seleção de Angola. Duvido, repito: DUVIDO, que a seleção de Angola não tenha um jogador melhor que o atacante da Portuguesa. Até o Bigu joga mais que aquele coitado. Lembra do Bigu?

“Ah! Que é isso? Elas estão descontroladas....”
Papelão, o da torcida do São Paulo. Após a vitória sobre o Ituano e confirmação do vice-campeonato, os torcedores do Tricolor ficaram “descontraladas”. Invadiram o gramado e, no melhor estilo “fã dos Backstreet Boys”, arrancaram a roupa do atacante Thiago. Depois ficam bravas quando a gente zoa...

Ao menos, o artilheiro.
Pífia a campanha do Corinthians nesse Paulistão. Um vergonhoso 6º lugar para uma equipe de deveria brigar pelo título. Pelo menos o Coringão sentiu o prazer de ter novamente o artilheiro da competição. Nilmar marcou 18 vezes e trouxe a artilharia de volta ao Parque S. Jorge. Fato que não ocorria desde 1993, quando Viola foi o goleador com 20 gols.

6 Cornetadas

segunda-feira, abril 10, 2006

Santos! Santos! Santos! Gol! 

Diego Corneta

O título do post é o refrão do hino mais bobo que eu conheço. Enfim, letra e música à parte, o Santos é Campeão Paulista de 2006, 22 anos depois. Não foi uma boa partida, mas o placar de 2X0 construído no primeiro tempo foi suficiente.

Destaque
Não consigo apontar um destaque no time do Santos. Maldonado foi muito bem. Léo Lima também foi bem, passou de refugo desacreditado para um dos principais do time. Fabinho vai bem tanto quanto volante como lateral. Kleber é sempre muito competente nos cruzamentos e na marcação. Cléber Santana está muito longe de ser craque, mas não é nenhum pé duro. Reinaldo sabe fazer pivô, passar a bola, cabecear e finalizar com relativa competência. Rodrigo Tabata decepcionou, não se firmou entre os titulares. Jogar bem no Goiás é uma coisa, jogar no Santos, é outra. O destaque é óbvio: o mala sem alça, sem rodinha e sem zíper, Vanderlei Luxemburgo. Com um bando de jogadores regulares, que mal se conheciam, o cara montou um time competente. Sem brilho, sem encanto, mas muito competente.

Números
O Santos teve a melhor defesa do campeonato, com 19 gols sofridos em 19 jogos. Boa parcela do título vem dessa eficiência defensiva. O Mogi, rebaixado em último, teve a pior defesa (40 gols) e o pior ataque (18 gols). Não é de se estranhar o rebaixamento. O São Paulo, por sua vez, teve o melhor ataque, com 46 gols em 19 jogos. O artilheiro foi Nilmar, isolado com 18 gols em 14 jogos. O maior público foi para ver Santos 1X3 São Paulo, 51.520 pagantes. E o pior, Mogi 1X2 Noroeste, com 261 pagantes.


Clique na foto para aumentá-la. Tem mais papagaio de pirata do que jogador...

1 Cornetadas

sexta-feira, abril 07, 2006

Isso é Corinthians! 

Diego Corneta

Antes de qualquer coisa, é preciso dizer que foi uma vitória de virada e muito suada, sofrida, brigada... com a cara do Corinthians. Fazia tempo que eu não via o time todo jogar com tanta raça. Digo o time todo, pois há jogadores que jogam com raça todas as partidas, como Marcelo Mattos, Mascherano e, sobretudo, Tevez.

Outro fato que precisa ser dito, o Wendel não pode jogar bola. Ele simplesmente não é apto para desempenhar tal função. Fabrício já foi embora, Sebá se quebrou e não entra mais, Jô e Bobô foram embora, Bruno Octávio também não entra mais, e o Wendel segue lá no Timão. É inaceitável! O primeiro gol do Universidad Católica foi falta no péssimo Herrera, porém, antes disso houve o pênalti de Wendel, que, incapaz de marcar sem fazer falta, agarrou a camisa do adversário. Não contente, o débil Wendel ainda foi expulso de maneira tosca e burra.

Enfim, falemos de coisas boas. O técnico Casseta & Planeta acertou em colocar o Carlos Alberto no lugar do Roger. Carlos Alberto é mais forte, marca melhor e está mais disposto que o Roger. Ontem, Carlos Alberto jogou muito bem. Outro que fez uma partida espetacular foi o argentino Tevez. Fez um gol, construiu outro, e foi perigo constante contra a defesa chilena. Tevez é o inferno em campo. Um jogador brigador, rápido, habilidoso e que não tem medo de levar porrada, muito menos de cara feia.

Carlos Alberto, além da técnica, mostrou garra e disposição

Nilmar fez exatamente a sua função, e ele é muito bom naquilo que faz: atacar e marcar gols. Ontem ele fez dois, sendo que o segundo foi fruto de uma linda tabela entre Nilmar e Carlos Alberto. Mas alguém precisa dizer para o Nilmar que na Libertadores os juízes não vão apitar qualquer tombinho. Ontem, por três ou quatro vezes, ele desistiu da jogada para cair e simular falta ou pênalti. Em alguns lances, ele foi realmente empurrado ou puxado, mas tem que ficar em pé! Não dá para ficar caindo com qualquer toquinho.

Marcelo Mattos e Mascherano jogaram muita bola. O primeiro começou meio nervoso, mas deu um ótimo passe para o primeiro gol de Tevez e fez uma partida exemplar, marcando muito bem. Mascherano, logo no começo, também errou. Tentou dar um toque de letra e furou a bola, mas foi seu único erro na partida, Ele tomou conta do meio-de-campo e, já com dois a menos, tomou conta da entrada da área. Ele parece que tem 30 anos, tamanha a liderança que exerce nos companheiros, não é por menos que seu apelido na Argentina é "Jefecito" (Chefinho).

Ricardinho estava irreconhecível, aliás, faz tempo que ele não joga bem. Omitiu-se em campo e fez uma péssima partida. Herrera também não dá. Ele é inseguro, solta muitas bolas fáceis. É péssimo também na saída de gol e na reposição. Apesar das falhas, o Corinthians conquistou sua maior vitória no ano e agora depende de apenas um empate em casa para garantir-se na próxima fase.

PS: Um certo time tricolor jogou mais de 20 minutos com um homem a mais e perdeu de 2X1 em casa. O Timão, por sua vez, jogou mais de 20 minutos com dois homens a menos e ganhou de 3X2 fora de casa. Sem mais.

5 Cornetadas

quinta-feira, abril 06, 2006

Rápidas & Rasteiras 

Diego Corneta

Forza iataliana
O time do Milan fazia uma partida complicada, empatava em 1X1 com Lyon e o golerio Dida (que falhou no gol tomado) não inspirava confiança. Até então a vaga era do time francês. Aos 43 do segundo tempo, encontraram Shevchenko livre na entrada da área. Aí meu amigo, é perigo real e imediato. Ele fuzilou no canto, mas o goleiro conseguiu desviar e a bola bateu caprichosamente nas duas traves antes de Inzaghi chegar rasgando para fazer o seu segundo gol. Já nos acréscimos, outra falha capital Em um recuo de bola mal feito, Shevchenko roubou a bola e driblou o goleiro numa velocidade impressionante. Gol. Foi seu nono gol em dez jogos da Liga dos Campeões.

Verdade seja dita
O Lyon é um ótimo time, et cetera e tal. Mas falemos a verdade: um time que tem o Cris na zaga não merece ir muito longe. E não foi.

Ciau, italianos
O Inter da Milão não resistiu ao Villarreal lá na Espanha. O time italiano ficou no zero e o espanhol marcou apenas um, mas que lhe valeu a classificação. Eu vi aos melhores momentos e foi um ótimo jogo (bom, pelo menos teve um monte de melhores momentos...). Riquelme comeu a bola, destruiu mesmo. Fez ótimas jogadas e por duas vezes simplesmente fez fila na zaga italiana. 1X0 foi pouco pela superioridade do Villarreal, que agora enfrentará o Arsenal em uma das semifinais. O time inglês ficou no 0X0 e garantiu a sua vaga.

Barça
Ronaldinho Gaúcho perdeu um pênalti, mas fez um gol e participou de outro. Ou seja, mais uma vez foi decisivo na vitória de seu time. Jogando contra uma legião de brasileiros (Moretto, Anderson, Luisão, Leo, Beto, Geovanni e Marcel), o Barcelona foi sempre superior e o jogo poderia ter sido uns 4 ou 5X0.

Reencontro marcado
Na liga anterior, Barcelona e Milan caíram no mesmo grupo. Foi uma vitória para cada lado, em dois ótimos jogos. Mas ambos sucumbiram na tentativa de levar o título. O Barça caiu diante do Chelsea e o Milan foi derrotado naquela final histórica contra o Liverpool. Esse ano, os dois supertimes voltam a se encontrar, mas dessa vez é outra situação: semifinal, mata-mata. Tem tudo para ser um excelente jogo e pena que eu não vou assistir pois estarei trabalhando.

Fim da auto-pagação-de-pau
São-paulinos, Galvão Bueno, impressa e todo mundo ostentavam de boca cheia: O São Paulo está invicto no Morumbi desde a Libertadores de 87, são 30 jogos, coisa e tal." Falavam isso toda hora e agora não vão falar mais. O bom Chivas bateu o São Paulo duas vezes pelo mesmo placar, 2X1 no México e aqui. E ainda teve um gol que passou embaixo das pernas do Rogério Cena, ops, Ceni. Fazia tempo que eu não secava um time do jeito que eu sequei ontem o São Paulo. Valeu a pena.

Santana é o nome do cara que enfiou a bola no meio das pernas do Rogério Cena, ops, Ceni

Brasileiros na América
Agora já é notícia velha: O Palmeiras ganhou fora, o Internacional empatou fora, o Goiás perdeu fora e o Paulista ganhou em casa do tradicional River Plate. Tudo bem que o River não é o mesmo de anos anteriores, quando tinha D'Alessandro, Cavenaghi, Max Lopez, Mascherano, Diogo e Lucho González; mas ainda assim era o River Plate. Ótimo resultado para o Paulista.

1 Cornetadas

quarta-feira, abril 05, 2006

É o amor... 

por Anselmo Trompete

Resolvi escrever esse texto após os intermináveis comentários no post abaixo.

Há quase dois dias eu, Diego Corneta e Mauricio Tuba estamos discutindo sobre o maior craque da atualidade: Ronaldinho Gaúcho.

O ponto de discórdia surgiu quando Diego Corneta disse que o Ronaldinho Gaúcho é o maior jogador que o Brasil já teve, depois do Pelé. Discordo (só pra variar um pouco, heheheh...) do meu amigo de cornetadas.

Ronaldinho Gaúcho é espetacular e tem tudo pra ser o maior jogador brasileiro, depois do Pelé. Notem que eu escrevi “tem tudo pra ser”, mas eu acho que ainda não é.

O que acontece com o Ronaldinho Gaúcho e seus cegos admiradores é semelhante do que acontece com a gente no começo de um namoro. Tudo é maravilha. Qualquer coisa que nossa amada faz é lindo, maravilhoso, a ponto de esquecermos tudo que passamos nessa vida. Tudo que ela diz “é mais sincero”, tudo que ela faz “é mais lindo”, tudo que vem dela é muito melhor.

Fiz essa comparação porque foi a maneira que encontrei para descrever o pensam os cegos admiradores do Ronaldinho Gaúcho. Isso mesmo, cegos! O amor faz a gente ficar cego e muitas vezes esquecer a razão.

Lembram daquele vídeo, que circulou na net? Aquele do Ronaldinho Gaúcho fazendo um “ping-pong” com a trave, em pleno treino do Barça. Então. Somente quem está cego de amor e admiração consegue acreditar naquela montagem. Assim como, os cegos admiradores do Ronaldo Fenômeno juram que ele realmente estava numa arena driblando um touro na última campanha da Brahma.

O amor faz essas coisas com a gente. Faz a gente achar que jogadas (algumas relativamente comuns em campeonatos nacionais) são “obras de arte”. O gol marcado pelo 10 do Barça contra o Chelsea eu já vi umas 100 vezes aqui no Brasil. Mas não!! Foi o Ronaldinho Gaúcho que adiantou a bola, deu uma trombada no Terry, e chutou no canto. Se isso foi golaço, então o que foi aquele gol do Nilmar contra a Portuguesa Santista? E aquele do Alex (ainda no Palmeiras) , chapelando todo mundo, contra o São Paulo? Ou aquele do Danilo, pegando de primeira no canto da grande área. Mas não... gols do Ronaldinho Gaúcho são muito mais bonitos, simplesmente porque SÃO DO RONALDINHO GAÚCHO.

Outra coisa. O próprio Diego Corneta vive comentando que na Europa só tem “pé-duro”. Pra ele, o Basílio (aquele mesmo, do Palmeiras, Santos, Ituano...) joga mais que o Owen, o Ricardinho coloca o Scholes no chinelo, e por aí vai. Pois bem. Já que pensa assim, então é muito mais fácil fazer gol na Europa! Afinal, lá só tem caneludo! Então, vamos começar a minimizar as belas jogadas do Ronaldinho Gaúcho porque lá no velho continente só tem perna-de-pau e, jogando com perna-de-pau, até eu consigo dar 3 chapéus consecutivos no mesmo jogador.

Não tenho dúvidas que se o Ronaldinho Gaúcho continuar jogando essa bola, mesmo que sendo no meio dos “grossos lá de Europa”, só um desastre tira o hexacampeonato do Brasil. Também não tenho dúvidas que o ele vai ser um dos maiores craques de todos os tempos. Só não acho que estou tendo “excesso de cautela”. Só não estou apaixonado, e, portanto, consigo pensar um pouquinho com a razão.

6 Cornetadas

segunda-feira, abril 03, 2006

Rápidas & Rasteiras 

Diego Corneta

Ronaldos
Nada de especial no tão aguardado "clássico do ano". Barcelona e Real Madrid empataram em 1X1 com um gol de cada Ronaldo. O gol do Gaúcho foi cobrando pênalti e do Gorducho foi num belo toque por cobertura. O Barcelona jogou melhor e boa parte com um homem a mais, mas não soube ganhar do Real. Dizem que Robinho estava em campo mas ninguém viu o cara jogar, mal tocou na bola.

Em aberto
É chavão, mas é assim que está o título paulista. O São Paulo é muito melhor que o Santos e ontem venceu com méritos. O time do Santos é horrível e só mesmo equipes desorganizadas e irregulares (leia-se Palmeiras e Corinthians) para perder contra um time daqueles. E São Paulo, por outro lado, ganhou todos os clássicos e pega o Ituano na última rodada. Mesmo fora de casa, o São Paulo deve ganhar fácil, já o Santos...

Maldonado salva (mais uma) trapalhada de Fábio Costa

Pedreira
O Santos terá que vencer a Portuguesa na Vila Belmiro para ficar com o título. O problema é que a Portuguesa ainda luta para não cair e não vai entregar os pontos de bandeja.

Ditadura da imagem
Rodrigo Cintra apitou muito mal o clássico. Inventou dois pênaltis e expulsou erradamente o Luiz Alberto, do Santos. O gol anulado do Josué foi falha do bandeirinha, um bundão. E no gol do Tiago, Junior estava um pouco adiantado, mas foi gol. Menos de um metro na frente, num lance de 0,4 segundos, só é impedimento na tevê e ainda por cima com a imagem congelada. Na dúvida, prevalece o gol, diz a recomendação da FIFA. Temos que acabar com essa ditadura da imagem que domina o futebol. Ou botamos o quarto árbitro acompanhando o jogo pela tevê, ou teremos que acompanhar as infindáveis e chatas discussões sobre os (supostos) impedimentos.

Pop Star
Que palhaçada é essa? Agora, depois de apitar (ou bandeirar) muito mal as partidas, os árbitros vão dar explicações nos programas de tevê! E o cara foi tão orgulhoso que não assumiu nenhum erro! Tudo tinha uma justificativa, na visão dele a arbitragem foi simplesmente perfeita. Agora vem o problema: é uma burrice da Federação botar os árbitros para confrontar com as imagens da tevê. É uma covardia, todo mundo vê uma coisa e o cara simplesmente fala o contrário! E ainda por cima há votações dos eventuais "pontos de vista"! E desde quando apitar jogo é democracia? É cumprir a regra e pronto, não existe isso de "minha interpretação", "minha percepção no momento do lance"... tudo isso é uma palhaçada! Nenhum torcedor gosta de árbitros e, devido aos escândalos recentes, estão com os filmes queimadíssimos. Botá-los naquela posição só vai piorar a situação. No meu tempo (estou me sentido velho) os juízes eram muito mais discretos e quase nem davam sequer entrevistas.

Carioca
O Fogão derrotou por 2X0 o fortíssimo Madureira no primeiro jogo da final do "charmoso" campeonato carioca. Agora joga por um empate na finalíssima. Vem a pergunta: E daí?

Rei absoluto
Roger Federer não tem nenhum adversário a sua altura. E tudo indica que não vai ter por muito tempo. Ontem ele ganhou mais um título, foi o quarto em cinco disputados em 2006. Nesse ano já foram 29 partidas e 28 vitórias. Ele só perdeu uma final para o Rafael Nadal, mas na ocasião, Federer estava gripado. Acompanho com interesse a carreira do suíço e dá para notar que ele é muito superior aos outros. É de uma superioridade que até ofende, humilha. O americano Blake, ao saber que enfrentaria Federer na semifinal de Miami, disse: "Estou à espera de um milagre". É assim mesmo que ficam os adversários de Federer, torcendo por um milagre.

17 Cornetadas

This page is powered by Blogger. Isn't yours?